“As nuvens se amontoam no céu, carregadas. Um homem está parado, fitando o infinito acima. Um raio cai ali perto, iluminando todo o arredor. Enquanto o homem, concentrado, continua imóvel. Outro raio cai e, no mesmo instante, o homem estica seus braços e agarra-o com todas as suas forças, estourando uma grande rajada de luz. Começa então uma grande luta entre o homem e o raio. E longe dali, um pequeno menino assiste a tudo. Essa lembrança ficará para sempre em sua memória, e mudará o futuro dele e de muitos outros.”

Precisamos ser absorvidos, com nossa percepção e sentidos abertos, para colher nos detalhes do desenho os indícios, os rastros que os personagens nos deixam e que, quadro após quadro, em uma sequência cinematográfica, fazem-nos imergir, ir e vir na passagem do tempo, colorindo e descolorindo, reconstruindo memórias e tomando fôlego para a próxima página e para o que vem de lá

Bianca Oliveira, designer, diretora de arte e produtora

Contemplada pelo PROAC, da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, história de Shun Izumi, e ilustrada por ele mesmo em conjunto com os quadrinistas Benson Chin e Breno Ferreira, conta a história jornada do personagem e seu pai, que tem um fantástico ofício, o de colher raios com as próprias mãos.

A obra mistura técnicas manuais e digitais, sendo que cada artista pôde explorar um estilo específico, para dar um tom diversificado para a história. A história é muda, ou seja, não há textos ou falas, o que deu a cada artista a possibilidade de explorar as emoções do personagem da forma visualmente mais aprofundada.

A obra tem  formato 21X28cm, couche fosco 115g, 72 páginas coloridas, capa com hotstamp, vendido a R$30,00.

Que tal dar uma espiada?